As maiores rentabilidades em renda fixa

Quero investir na maior rentabilidade possível em renda fixa no prazo de 5 anos. Qual aplicação escolher e quanto eu devo ganhar de rendimento? Vamos comparar as rentabilidades de diferentes aplicações em renda fixa de modo a conseguirmos ranqueá-las. Para esquentarmos os motores, vamos simular a aplicação de 10 mil reais nos diferentes títulos do tesouro direto, usando a calculadora do TD:
  • Tesouro Prefixado: R$ 15.031,00
  • Tesouro Selic: R$ 15.022,00
  • Tesouro IPCA+: R$ 15.265,00
Tais simulações consideraram o IPCA no período em 5% e a Taxa Selic em 10%. Já foram descontados as taxas de custódia (0,3%) e o Imposto de Renda (15% sobre o rendimento). Como veremos adiante Tesouro Direto perde para outros investimentos em rentabilidade por ganhar nos quesitos liquidez e segurança. Saindo dos títulos públicos e partindo para os privados, vamos começar pelos CDBs. As simulações consideram o CDI no período em 10% e o IPCA seguindo em 5%. Os resultados contemplam a retirada do IR.
  • CDB 119% do CDI (Banco Máxima): R$ 16.413,00
  • CDB 11,5% Pré (Sofisa Direto): R$ 16.148,00
  • CDB IPCA + 7,3% (Banco BMG): R$ 16.929,00
Agora vamos simular uma aplicação isenta de IR, a LCI (título bancário que capta recursos para o setor imobiliário, o equivalente à LCA, para o ramo agropecuário). LCI 94% do CDI (Banco BTG Pactual): R$ 15.670,00LCI IPCA + 4,75% (Barigui Financeira): R$ 16.095,00 Chegando nas Letras de Câmbio, quando o nosso investimento se traduz em empréstimo para financeiras. Já sem o IR, temos:
  • LC 122,5% CDI (Dacasa Financeira): R$ 16.647,00
Finalmente as debêntures, forma de captação de recursos por empresas, onde não há a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).
  • Debênture IPCA + 9% (CEMIG): R$ 18.191,00
Pelo exemplo tratar de uma debênture não incentivada, o valor apresentado já reflete o desconto do IR. Quando compramos ações de uma companhia, nós nos tornamos sócios, torcendo para que a empresa cresça, valorize e dê dividendos. Quando investimos em debêntures, nos tornamos credores, só precisamos torcer para que a empresa não quebre, para que possa pagar suas dívidas ao fim do prazo da aplicação. Algumas aplicações possuem prazos distintos dos 5 anos que utilizamos para ser possível a comparação. Por fim, não podemos esquecer da nossa velha e não tão boa poupança. Rendendo na casa dos 8% ao ano e sendo isenta de IR:
  • Poupança: R$ 14.693,00
Truncando os valores para termos as ordens de grandeza dos investimentos em milhares de reais chegaremos em:
  • Poupança: R$ 14 mil
  • Tesouro Direto: R$ 15 mil
  • LCI: R$ 15/16 mil
  • CDB: R$ 16 mil
  • LC: R$ 16 mil
  • Debêntures R$ 18 mil
Segue no gráfico as rentabilidades obtidas. Conclusão: A maior rentabilidade em renda fixa, das tratadas aqui, pertence ao grupo das Debêntures, não por acaso, as aplicações de maior risco. Os títulos privados, emitidos por bancos e financeiras, que possuem a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito ficam no pelotão intermediário das aplicações. O Tesouro Direto, com sua maior segurança e liquidez, fica um pouco atrás. E a poupança? Bom, a poupança rende menos do que o Tesouro, que é mais seguro que ela. Talvez haja utilidade para a poupança em ajudar a compor um fundo de emergência. E, de acordo com a lei de não haver almoço grátis, se quiser mais rentabilidade, tem que levar junto mais risco e menos liquidez. Site: Educação Financeira – 31/03/2017